quinta-feira, 26 de maio de 2016
23

[RESENHA] Meu Querido Meio-irmão - Penelope Ward

Lido em: Maio/2016
Título: Meu querido meio-irmão
Autor(a): Penelope Ward
Editora: Pandorga
Gênero: Romance / New Adult
Ano: 2016
Páginas: 264
ISBN: 9788584420711
Onde comprar: Submarino  ||  Saraiva 
Skoob




Sinopse: Não é normal desejarmos alguém que nos atormenta.
Quando meu meio - irmão, Elec, se mudou para nossa casa, eu não estava preparada para lidar com um cara tão idiota. Odiei o fato de ele descontar sua raiva em mim porque não queria estar aqui.Odiei que trouxesse garotas da escola para seu quarto. Mas o que mais odiei foi o modo indesejável que meu corpo reagia a ele. A princípio, pensei que tudo que ele tinha a seu favor eram o corpo musculoso e tatuado e o rosto perfeito. Mas as coisas começaram a mudar entre nós, e teve um desfecho incrível de uma noite.
No entanto, do mesmo modo que Elec entrou na minha vida, voltou para a California. Passaram - se anos desde a última vez que o vi. Quando a tragédia atingir nossa família, tive que encara - lo novamente. E, diabos, o adolescente que me deixou louca se tornou o homem que destruiria o resto de sanidade que havia em mim. Senti que meu coração estava prestes a ser partido... de novo.

Biografia: Penelope Ward é autora best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal, com os livros Stepbrother Dearest, My Skylar, Jake Undone e Gemini. Ela cresceu em Boston com cinco irmãos mais velhos e passou a maior parte de seus 20 anos como âncora de noticiário de TV antes de resolver seguir uma carreira mais "família".
Penelope ama livros do gênero New Adult, café e passeios com sua família e amigos aos fins de semana.
Ela é a mãe orgulhosa de uma linda garota autista de 10 anos (a inspiração para a personagem Callie, em Gemini) e um garoto de 8 anos. Ambos iluminam seus dias.
Penelope, seu marido e filhos vivem em Rhode Island.

*Livro cedido em parceria com a Editora.




Antes de começar a resenha gostaria de esclarecer um detalhe sobre o título do livro. Quando comecei a leitura, logo de cara percebi que Greta e Elec não eram meio-irmãos, pois na minha concepção, meio-irmãos são irmãos por parte de um dos pais, e não é o caso dos protagonistas. Elec é filho do primeiro casamento do padrasto de Greta, ou seja, não são parentes, no máximo, irmãos de consideração. Mas, depois de pesquisar, descobri que nos Estados Unidos, se os pais se casam, os filhos de outros relacionamentos, são considerados meio-irmãos.
Esclarecido isso, vamos à resenha.


Greta tem dezessete anos, mora em Boston com a mãe, Sarah, e o padrasto, Randy.
Elec, também tem dezessete anos, mora em São Francisco com a mãe e vai morar com o pai, Randy,  por um ano, enquanto a mãe irá para fora do país à trabalho.
Assim que chega, Elec mostra que não está disposto a ser amável com a família de seu pai.
Greta tenta se aproximar e fazê-lo se sentir em casa, mas dia após dia isso se torna cada vez mais difícil, pois Elec não facilita. Aos poucos vamos descobrindo o que o motivou a agir assim, e ele mostra, cada vez mais, que não está satisfeito por estar ali. Quer infernizar a vida de todos na casa, principalmente de Greta.

O envolvimento entre os dois é inevitável e acontece de maneira intensa, mas do mesmo jeito que começa, termina. Deixando corações partidos.
Entre muitas brigas, discussões e também aproximações e tréguas, um acontecimento faz com Elec tenha que voltar às pressas para São Francisco.
Depois que parte, ele e Greta não se falam mais, até que sete anos depois uma tragédia faz com que Elec tenha que voltar a Boston.
Ambos estão com suas vidas encaminhadas, seguiram caminhos diferentes, e agora vão se reencontrar depois de tanto tempo.

"(...) Fisicamente ele era meu sonho, mas, em todos os outros sentidos, era meu pesadelo." (p. 14)

Greta é sensível, generosa e carinhosa. Vê sua vida virar de cabeça para baixo com a chegada de Elec. O que ele tem de gostoso, tem de babaca. E no início, ela não admite sentir-se atraída por um cara que a atormentava sempre que tinha oportunidade. Mas mesmo Elec a tratando como trata, Greta sempre procura estar por perto para poder ajudá-lo, pois no fundo sabe que ele é mais do que o babaca que aparenta ser. Ela é a única que o vê como ele realmente é.

"- Sinto como se você conseguisse me ver de formas que nem eu consigo. Foi impossível fazer com que me odiasse, porque eu sabia que não era verdade. Obrigado por ser inteligente o suficiente para enxergar meu interior." (p. 83)

"(...)- Sei que por mais que eu tenha avisado, você me entregou um pedaço do seu coração na noite passada. E, por mais que eu tenha tentado impedir, te dei um pedaço do meu. Sei que você percebeu isso hoje de manhã. Quero que o mantenha com você." (p. 104)


Elec é um bad boy sexy e um baita de um cretino arrogante. Mas ele não consegue sustentar essa máscara por muito tempo. Seu principal passatempo é irritar Greta, que age completamente diferente do que ele espera e isso quebra todas as suas defesas.
No decorrer da história, vemos que o jeito problemático de Elec, deve-se a um fator delicado, seu difícil relacionamento com o pai, que vai muito além das dificuldades normais entre pais e filhos adolescentes. O buraco é bem mais embaixo.

Tanto Elec quanto Greta são muito imaturos e não sabem como lidar com tudo que acontece. O crescimento dos personagens fica evidente na segunda parte da história. A maneira como a autora mostra esse amadurecimento, me agradou bastante.

"(...) A viagem de volta para casa foi muito calma. Era como uma calmaria depois da tempestade. O redemoinho do dia anterior deu lugar a um sentimento de impotência entorpecente, naquela manhã." (p. 173)

"(...) Um coração partido ainda bate." (p. 180)

"Da mesma forma como você pode embaralhar as letras de uma palavra para que ela tenha outro significado, assim é a vida. Uma vida pode ser definida por suas dificuldades e bençãos. Tudo depende da forma como você olha para ela." (p. 263)

Gostei muito da personalidade Greta, mas foi Elec quem mais me agradou (não só por ser gostoso rs) ♥.  Entre os personagens secundários, gostei muito de Sully, vizinha de Greta em Nova York.

Narrado em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Greta, o livro é dividido em duas partes: Parte um - com os protagonistas adolescentes, com dezessete anos; Parte dois - sete anos depois. Penelope Ward construiu uma trama cativante com certa carga dramática, com personagens marcantes, narrativa simples e detalhes na medida certa.

O livro não tem muitas cenas hot's, mas as poucas que tem são muito bem escritas.

Drama familiar, atração, amor, Meu querido meio-irmão é uma história intensa e delicada, apesar de clichê. 

Devo dizer que antes de começar a leitura, pela capa e pela sinopse, imaginava uma história totalmente diferente do que encontrei. Meu querido meio-irmão me surpreendeu positivamente. O livro foi uma verdadeira surpresa, me peguei devorando a história sem conseguir largá-la e quando chegou ao fim, eu queria mais, muito mais. Me apaixonei MESMO pelo livro.

A capa retrata bem o protagonista da história. A diagramação é simples, com folhas amareladas e fonte em bom tamanho. Encontrei alguns erros de revisão, mas nada que comprometa o entendimento da história.




Recomendado!

Beijos.












23 comentários:

  1. Muito bom o esclarecimento, até porque eu estranhei esse fato em outras resenha que vi, não é muito comum ter algum tipo de interesse entre irmãos, parece que a autora conseguiu tratar desse assunto delicado de uma maneira sutil, também gosto de quando conseguimos detectar o amadurecimento de alguns personagens, acho que a ausência de cenas hot´s foi bom para a obra, espero ler, amei a capa

    ResponderExcluir
  2. Já li alguns livros de meio-irmãos e isso me confundia um pouco. Agora que vc esclareceu entendi melhor.
    Na época li em e-book mesmo pois não aguentei esperar mas vou comprar assim que possível pois pretendo reler.
    Essa foi uma leitura altamente viciante.
    O Elec é muito intenso e quebrado, bem diferente da Greta que é inexperiente, inocente e apaixonada!
    Achei o livro uma montanha russa de emoções e fui surpreendida positivamente.
    Achei uma maneira muito original para mostrar o duplo POV e eu pensei que realmente funcionou bem para isso. Outra coisa que me agradou bastante foi o livro ser divido em duas partes.
    EU AMO histórias de amor proibido de modo que o título por si só me atraiu.
    A autora soube dosar muito bem no drama familiar. Amei!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Li!
    Curto histórias onde os principais tiveram um envolvimento no passado e quando li pela primeira vez a sinopse de Meu querido meio-irmão fiquei bastante interessada... Como não gosto de personagens imaturos com certeza vou preferir a segunda parte da história do que a primeira.
    Não vejo a hora de finalmente conhecer a história de Greta e Elec!! Que bom que você se apaixonou MESMO por esse livro pois minhas expectativas estão nas alturas, espero não me despontar...
    Bjos!

    ResponderExcluir
  4. Eu li um livro que tinha irmãos de pais diferentes e fiquei me perguntando porque os pais consideravam irmãos se não eram, então uma integrante de um grupo explicou é diferente do nosso País. quando comecei a ler a resenha já não gostei dos protagonistas devido serem imaturos e não sou fã de bad boy, mas depois li que eles amadurecem, então passei a me interessar. Parece que tem uma reviravolta que conquista o leitor.

    ResponderExcluir
  5. Quando terminar de ler a sinopse achei meio esquisito essa questão de "meio irmãos" mesmo, mas que bom que você pesquisou e nos esclareceu! Bem legal também que as cenas eróticas são bem escritas! Tem cada livro por aí que chega a doer de tão tosco...
    Achei que esse título super desperta a curiosidade no leitor!! Eu fiquei, certamente!

    Beijos Aline.

    ResponderExcluir
  6. O esclarecimento no inicio da resenha é ótimo, essa questão do termo meio-irmão me confundia um pouco. Sobre o livro, pela capa eu pensei se tratar de um livro bem "Hot" e gostei de saber que é bem mais intenso e tem uma história legal e envolvente. Vou adicionar nos livros que quero ler ;)

    ResponderExcluir
  7. Eu li esse livro esse mês também e simplesmente ameeeeei o livro, os personagens, a história, a escrita, TUDO! Com certeza é um dos livros que levarei para toda a vida comigo. Ele mexeu muito comigo, várias vezes me pegava chorando com a história. É muito comovente e você passa o livro inteiro torcendo pelos personagens, mas não é nada fácil. É aquele epílogo? Nossa, só amar por esse livro <3
    Com certeza, irei lê-lo mais vezes! Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  8. Aah que bom que você esclareceu isso, porque eu já tava aqui sentindo nojo do livro. Não acho que esse titulo deveria estar ai, eu nem o pegaria em uma estante se tivesse visto viu?!
    Mas mesmo assim não gostei dele. Não foi uma história que me agradou, essa cenas soaram meio estranhas, não sei. Mas esse livro não é pra mim.

    ResponderExcluir
  9. Eu já tinha visto esse livro antes, mas ele nunca me chamou atenção. Acho que acabei ficando saturada de livro assim, um bad boy, uma garota e passados problemáticos.
    E um dos pontos do livro que eu gostei que você citou foi o amadurecimento dos personagens, acho sempre muito bom quando o autor consegue trabalhar isso.
    Esse eu também vou deixar passar, mas fico contente ao saber que você gostou da leitura e que ele te surpreendeu positivamente. Beijo :)

    ResponderExcluir
  10. Eu dou do tipo que compro sim, livro pela capa e ,desde que vi essa ,Mr apaixonei e logo adicionei na lista de desejados ; depois,quando li a sinopse,e algumas resenhas ne encantei ainda mais pois me fez lembrar do nacional Amor no Ninho que é um livro que eu amo de paixão,um dos meus queridinhos . Por isso,e por ser um NA , tenho certeza que vou amar a história de Meu querido meio - irmão.

    www.emcadapágina.com

    ResponderExcluir
  11. ainda bem que você disse que é uma história boa apesar de clichê eu comecei a ler a resenha e pensando: eu já li isso antes... mas, enfim o problema não é ser clichê mas sim envolver a gente e parece que esse livro faz isso...
    bom, essas capas são meio eu quero ter na estante né? acho que vou dar uma chance para a história.
    ah, adorei a explicação porque eles são meio irmãos, pq na minha concepção era quando tinha um dos em comum. mas vai saber...

    ResponderExcluir
  12. Olá, Li.
    Esse é um livro que eu não sei se leria. O enredo é muito batido e não traz nada de novo. E também odeio caras como esse protagonista. Mas ainda assim, é um daqueles livros que parece que a gente pega e termina numa sentada porque não consegue parar de ler. Então fiquei na duvida hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Obrigada pelo seu esclarecimento sobre o termo meio-irmão, muito importante mesmo. Gostei da sinopse e mais ainda da sua resenha. Realmente é um tema meio que repetitivo nos romances atuais, mas não deixa de ter seu encanto e de ser uma leitura prazerosa e divertida. Se tiver oportunidade, gostaria de ler. Abraços.

    ResponderExcluir
  14. Oi Li!
    Obrigada por esclarecer o fato de que eles não são meio-irmãos de verdade, eu tinha ficado meio encucada com isso quando li a sinopse e o titulo.
    Pelo que você descreveu tbm imaginei uma história totalmente diferente, pelos elementos da capa e da sinopse.
    O enredo me lembrou um livro que acabei de ler e me estressei muito, que foi after, apesar de não ter muito haver, só o personagem masculino irritando a personagem feminina, acho que meu humor ainda não melhorou para esse tipo de enredo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi.
    Eu amei a resenha, li esse livro em inglês e amei, não vejo a hora de tê-lo na minha estante, os personagens são ótimos, fortes e determinados, simplesmente amei.
    Boa Noite.

    ResponderExcluir
  16. Me interessei principalmente pelo fato de que há um amadurecimento dos personagens no decorrer do livro... Histórias onde eles agem da mesma forma do começo ao fim, ou que de repente parece que assumiram outra personalidade, sem passar por uma evolução que levasse a isso, simplesmente não me convencem.

    ResponderExcluir
  17. Não conhecia o livro, mas gostei, curto muito livros com dramas familiares, e esse é bem legal e bem escrito pelo que você falou.
    Fiquei curiosa para saber mais sobre o Elec e o relacionamento dele com o pai e o final com a Greta.
    Parecem serem personagens fortes.
    bjss

    ResponderExcluir
  18. O titulo do livro não é atraente e eu não compraria somente pelo titulo e nem pela capa. A historia é interessante, mas acho que não tem o impacto que teria em outro lugar onde este "parentesco" seria um problema para o relacionamento. Não estou curtindo personagens imaturos, por isso estou meio que fugindo de protagonista adolescente.

    ResponderExcluir
  19. Eu vi uma resenha dele recentemente e agora está batendo uma curiosidade. Não é exatamente um livro que teria lido sem ver coisa boa, não chamaria tanta atenção. Mas ele parece bom. Obrigado pela explicação daquele título, foi bem útil e tirou algumas dúvidas. Acho que vou colocar na lista de leituras, pode ser bem legal mesmo.

    ResponderExcluir
  20. Oi!
    Gostei do esclarecimento pois tinha lido uma resenha desse livro e ficado confusa, gostei da historia fiquei bem curiosa sobre esse problema do Elec com o pai dele, achei legal temos uma passagem de tempo nessa historia, gosto quando os autores colocam essa separação na historia, acaba deixando o livro mais interessante e vemos um crescimento nos personagens, se tiver oportunidade quero ler !!

    ResponderExcluir
  21. Oi,
    O livro não me agradou. Acho que o problema sou eu, já que tenho um meio irmão e pensar qualquer coisa com ele é ekalt (ele é lindo, dois anos mais novo, sou coruja e ele é meu irmão), completamente nojento! Sua foto me deu uma ótima ideia para marcar meus quotes, não gosto de rabiscar livros, então sempre perco eles rs.

    ResponderExcluir
  22. Olá, Li.
    Não leria a obra. Essa trama de meio-irmão (mesmo que não seja irmão, como é o caso), homem bad-boy, relacionamentos fortes e que geram corações partidos é bem clichê. Ademais, personagens imaturos sempre enchem o meu saco. haha
    De toda forma, gostei da sua resenha.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de maio. Serão três vencedores!

    ResponderExcluir
  23. Obrigada pelo esclarecimento!
    Pois ao ver o lançamento, já pensei que não leria por achar muito estranho meios-irmãos terem um relacionamento.
    Mas já que não são de verdade, fiquei mais tranquila, até leria, pois gosto do gênero.

    ResponderExcluir

Quem Escreve

Aline (Li), taurina, 36 anos, turismóloga, paulista de Ribeirão Preto, apaixonada por séries de TV e compulsiva por livros (se estiverem em promoção, então..rs). Amo ler! :)



Colaboradora

Luciana (Lu), Ribeirão-pretana, 31 anos, virginiana e perfeccionista. Cake Design. Danço nas horas vagas por paixão e para relaxar. Amo artesanato, praia, filmes, seriados e claro, livros!

Seguidores

Facebook

Instagram

Editoras Parceiras





Universo dos Livros


Editora Arwen



Astral Cultural


Chiado 

Editora

Butterfly Editora


Mundo Uno Editora

Últimas Resenhas

Total de Visualizações

Acompanhe via E-mail

Classificação

Pesquisar no Blog

Arquivo do blog

Publicidade