quinta-feira, 22 de junho de 2017
7

[RESENHA] O Ar que ele Respira - Brittainy C. Cherry

Lido em: Maio/2017
Título: O ar que ele respira
Autor(a): Brittainy C. Cherry
Editora: Record
Gênero: New Adult
Ano: 2016
Páginas: 308
ISBN: 9788501075666
Onde comprar: Saraiva  ||  Amazon
Skoob



Sinopse: Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.

Biografia: Brittainy C. Cherry é formada em artes cênicas, com especialização em escrita criativa pela Carroll University, em Wisconsin. Quando não está escrevendo, adora brincar com seus bichinhos de estimação. Ela mora com a família em Milwaukee, Wisconsin.




Dolorosamente lindo!


Elizabeth está tentando superar a morte de seu marido. O que a mantém de pé é sua filha, Emma. É por ela que Elizabeth segue em frente.
Tristan é grosseiro e agressivo. Não tem amigos e evita ao máximo o contato com outras pessoas. Ele é o novo vizinho de Elizabeth
O que duas pessoas tão diferentes têm em comum? A dor.

"(...) A pior parte de perder uma pessoa amada é que você também se perde." (p. 55)

Elizabeth é determinada e leal. Uma das coisas que me cativaram nela foi o fato de não se deixar levar pela opinião dos outros. Ela não é do tipo de pessoa que "julga o livro pela capa". Pelo contrário, ela sabia que havia mais em Tristan do que ele mostrava. E ela se dispôs a ir mais fundo para conhecê-lo.

"(...) A dor tornou meus olhos inchados e vazios. Tudo em mim doía; tudo estava destruído. E, à medida que o tempo passava, eu ficava ainda mais cansada dos meus próprios sentimentos." (p. 36)

Tristan, ou Pluto, é um tanto misterioso e apesar de seu jeito ogro de ser, é possível ver que tudo não passa de um meio de mascarar sua dor. O problema é que nem todo mundo está disposto a se aproximar e conhecê-lo realmente. É aquela velha história, julgamento por aparência.
Ele é totalmente surpreendido quando Elizabeth não se afasta, apesar de todas as suas grosserias e de todos os avisos para se manter afastada. Ela vê que ele não é o monstro que todo mundo pensa e fica cada vez mais instigada a descobrir o que ele tanto esconde e disposta a conhecê-lo cada vez mais. Ao mesmo tempo que isso o intriga, também o deixa interessado. Pluto me conquistou logo nas primeiras páginas. Como não se apaixonar por ele? Como não querer juntar os seus cacos e fazê-lo inteiro novamente?

"(...) Nós dois estávamos em mundos separados, feitos de nossas pequenas recordações, e, ainda assim, conseguíamos sentir a dor um do outro. A solidão reconhecia a solidão. E hoje, pela primeira vez, consegui enxergar o homem por trás da barba." (p. 69)

O envolvimento entre Elizabeth e Tristan começa de uma maneira complicada e intensa. Enquanto ele se isola, ela tenta se reerguer. Ambos são quebrados e encontram um no outro um consolo para tentar superar toda a dor que sentem. Porém, as coisas vão se complicando cada vez mais e eles terão que aprender a lidar com o que estão sentindo. Duas pessoas quebradas se apoiando uma na outra, se consolando... O que pode acontecer?

"Nós dois juntos era uma ideia terrível. Éramos instáveis, estávamos destruídos, não havia como negar. Ele era o trovão, e eu, a nuvem escura. Estávamos a segundos de criar a tempestade perfeita." (p. 117)

Todos os personagens foram muito bem caracterizados e explorados na história. Faye, a melhor amiga, e Hannah, mãe de Elizabeth, foram as que mais me cativaram. Tanner, melhor amigo do marido de Elizabeth, foi o que mais me surpreendeu, e não foi de maneira positiva.

Narrado em primeira pessoa com narrativa alternada entre os dois protagonistas, O ar que ele respira é uma história intensa. Brittainy C. Cherry construiu uma história emocionante, tocante e totalmente envolvente. Um ótimo drama com uma leve dose de humor e um toque de intriga . A leitura fluiu rapidamente e me emocionou em diversos momentos.

"Sabe aquele lugar entre os sonhos e os pesadelos? Aquele lugar onde o amanhã não chega e o passado não dói mais? O lugar onde seu coração bate em sintonia com o meu? Aquele lugar onde o tempo não existe e é mais fácil respirar? Quero viver nesse lugar com você." (p. 179)

Uma história de luto, amor, superação... uma história sobre se descobrir e se permitir viver. É impossível ler e não se sentir tocado pelo dor dos protagonistas. A autora criou personagens marcantes, com dores reais. 

Com certeza se tornou um dos meus favoritos!

A capa é maravilhosa! Sou totalmente suspeita para falar, pois sou apaixonada pela capa. A edição conta com páginas amareladas, diagramação simples e fonte espaçamento em bom tamanho.




Beijos. ;)




7 comentários:

  1. Oii. Tudo bem??
    A história parece ser linnnnndaaaa. Apesar de ser um pouco clichê, acho que a autora pode nos surpreender.
    Já quero!!! Assim que tiver oportunidade, vou querer ler, com toda certeza!!!
    Amei a dica!!
    Bjoo

    ResponderExcluir
  2. Oi Aline, você não tem ideia do quanto estou louca por este livro. Já até comprei e deve está chagando, não vejo a hora. Não li nenhuma resenha negativa dele, e tenho certeza que vou gostar tanto quanto você. Também gosto muito desta capa.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  3. Esse livro entrou nos favoritos do ano passado, e se eu relesse ele essa ano entraria novamente para os favoritos, não tem como não se apaixonar por essa história...Amei relembrar esses personagens lindos com sua resenha. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Hey!

    Tenho ouvido muito sobre este livro, comecei a leitura mas não consegui concluir, não é meu gênero, não bate. Mas fico feliz em saber que tenha gostado tanto.

    Bjos.

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu ainda não li nada da autora mas tenho curiosidade de conhecer a escrita dela. Gosto de romances, então é uma leitura que me interessaria. Plea sua resenha, os protagonistas parecem ter dramas bem complicados com os quais lidar.

    ResponderExcluir
  6. OI Li!
    Eu já li outro livro da Brittainy e não gostei muito e, pelo título, esse livro não tinha me chamado muito a atanção. Essa é a primeira resenha do livro que eu leio, se não me engano e nunca que iria imaginar que o livro tratava de luto e superação como trata.
    Achei, sério, que era mais pra Sr Daniels, que não gostei muito, mas parece que esse livro passa uma mensagem linda.
    Quem sabe, mais pra frente, eu dou uma chance pra ele!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Li, eu nunca li nenhum livro da Brittainy, mas morro de vontade porque as histórias dela são bem o estilo que eu amo e que me chama atenção.
    Eu tenho esse livro e estou louca para ler.
    Algo me diz que vou me encantar pelo Tristan.

    ResponderExcluir

Quem Escreve

Aline (Li), taurina, turismóloga, paulista de Ribeirão Preto, apaixonada por séries de TV e compulsiva por livros (se estiverem em promoção, então..rs). Amo ler! :)



Colaboradora

Luciana (Lu), Ribeirão-pretana, virginiana e perfeccionista. Cake Design. Danço nas horas vagas por paixão e para relaxar. Amo artesanato, praia, filmes, seriados e claro, livros!

Seguidores

Facebook

Instagram

Editoras Parceiras





Universo dos Livros


Editora Arwen



Astral Cultural


Chiado 

Editora

Butterfly Editora


Mundo Uno Editora

Últimas Resenhas

Total de Visualizações

Acompanhe via E-mail

Classificação

Pesquisar no Blog

Publicidade