sábado, 2 de maio de 2015
47

[RESENHA] Uma Vida Para Sempre - Simone Taietti

Lido em: Abril/2015
Título: Uma Vida Para Sempre
Autor: Simone Taietti
Editora: Talentos da Literatura Brasileira / Novo Século
Categoria: Literatura Nacional / Sick-lit
Ano: 2014
Páginas: 347
ISBN: 9788542803556
Onde comprar: Submarino  | Livraria Cultura
Skoob
Favorito!




Sinopse: Uma vida para sempre - Ethel diz estar morrendo. Contudo, não afirma isso apenas em razão de sua doença. Talvez a única certeza de nossa existência seja a morte, o fato de que ela chega para todos. Mas nem por isso deixa de ser a maior incógnita da vida.
Em um hospital, em meio à dor das histórias dos pacientes, Ethel encontrou amigos. Entre passeios em cemitérios, frequentando velórios e enterros de estranhos, ela tenta preparar a si e aqueles que ama, para o que parece estar ali tão próximo, o fim. Entretanto, não esperava enfrentar algumas surpresas que a fizessem duvidar de tal preparação.
As estatísticas ruins, a inexorável passagem do tempo. Onde reside a lógica disso que nos arranca pedaços, da súbita inexistência do que outrora era vívido e pulsante? Um corpo que jaz. Palavras que se perdem. A finitude de tudo o que é tão belo talvez seja a maior dor do mundo.
Uma vida para sempre é um compilado de desejos, pensamentos e dias.
Quanto dura o para sempre?
Ethel descobriu.

Biografia: Nasceu em 1994, ano em que o mundo perdeu Kurt Cobain e Ayrton Senna e em que Nelson Mandela tornou-se o 1º Presidente negro da África do Sul. 
Descobriu ainda no Ensino Fundamental sua grande paixão: a escrita. Tem preferência pelas histórias palpáveis, a inconstância da vida, aquilo que pode acometer qualquer um. 
Em 2011, foi uma das ganhadoras do 7° Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero, na categoria estudante de Ensino Médio, concorrendo com 3.375 outros textos.
"Uma vida para sempre" é seu primeiro livro publicado.
Vive em Tangará – SC. É acadêmica de Direito na Universidade do Oeste de Santa Catarina. Divide seu tempo livre entre a escrita, leitura, estudos e os seriados de que tanto gosta.

*Livro cedido em parceria com a autora.

Uma Vida Para Sempre foi amor à primeira vista, ou melhor, capa! Gente, olha essa capa que coisa mais linda!!! ♥

"A dor ensina. A dor protege.
Ela pode trazer momentos muito ruins
para a nossa vida, mas o que seríamos sem ela?
Pois bem, eu acho que sei um pouco sobre isso..."

Ethel, 17, sofre de uma doença cuja sigla em inglês é CIPA e significa Insensibilidade Congênita à Dor com Anidrose, ou seja ela não sente dor nenhuma, e atrelado a isso, também não transpira. Assim sendo, todos os dias ela tem uma rotina, de verificar três vezes seu corpo na frente do espelho, à procura de machucados e coisas assim, e também faz fisioterapia algumas vezes durante a semana. Ela vive com a mãe, Edite, em Tangará/SC, e todas as vezes que vai na fisioterapia, no hospital universitário de Joaçaba, cidade vizinha, ela aproveita para visitar seus amigos que fez no hospital, Gertrud, Max e alguns outros, e também faz visitas ao cemitério e a velórios de desconhecidos. Mas sua mãe, super protetora, nem sonha com esses amigos e essas escapadas de Ethel, se souber, certamente vai querer que ela volte a se tratar com psicólogo. 

Um belo dia, Ethel está andando pelo hospital e vai à procura de Max, um garoto de apenas nove anos que estava bastante doente, então ela tem a notícia de que seu amigo veio a falecer. A notícia a pega de surpresa, e sem saber como reagir, ela pede ao médico para ir ao quarto que Max ocupava. Já no quarto, sozinha, Ethel começa a se lembrar de seu amigo, mas é interrompida com a entrada de um garoto que logo começa a puxar assunto com ela. Um garoto lindo, chamado Vitor, 19 anos e que está se "escondendo" dos pais, pois está prestes a ser internado para um tratamento para Leucemia Mieloide Aguda. Os dois se dão bem logo de cara, e Ethel fica encantada com o bonito garoto.


"-As pessoas sempre têm palpites sobre a vida dos outros. Só que na maioria das vezes não entendem que os outros não estão nem aí para isso..." Pág. 74


Ethel e Vitor ficam amigos, e apesar de pensar muito nele, ela acredita ser melhor não se envolver de outra maneira com ele, afinal, ambos estão doentes, qual seria a probabilidade de conseguirem ficar juntos?
Mas, contra todos os seus argumentos, ela e Vitor se apaixonam, e apesar de todas as dificuldades passam a viver seus dias, aproveitando ao máximo da presença um do outro. A proximidade de morte batendo à porta faz com que os personagens se permitam viver, aproveitem o momento, enfim, vivam a vida em toda sua plenitude, tornando eternos seus momentos.

A situação de Ethel e Vitor faz lembrar Hazel e Gus de A Culpa é das Estrelas, mas a semelhança é apenas essa. As personalidades são bem distintas dos personagens de John Green, mas não deixam de ser tão geniais quanto!


"(...) Os sorrisos dele me faziam pensar em uma tentativa de ligar o continente americano ao africano. Era tão lindo quanto eu conseguia me lembrar." Pág. 78


"(...) Mas ao lembrar-me da forma como ele me olha, como me toca e das palavras que ele destoa com tanta naturalidade, penso ser impossível não haver uma pequena flor brotando em meio ao árido sertão que representa nossas existências." Pág. 129


A fixação de Ethel pela morte, pesquisando sobre o tema, visitando cemitérios e velórios, tem uma explicação: ela quer estar preparada, não quer ser pega de surpresa. Assim como quer que sua mãe também esteja preparada para quando ela partir, tendo em vista que já sofreu muito, quando seu marido e pai de Ethel, morreu atropelado. Mas por mais que achamos que estamos preparados para a morte, nunca estamos de verdade. Ethel começou a descobrir isso quando seu amigo Max faleceu.

Você aproveita bem o seu tempo? O tempo está se esvaindo nesse exato momento. O tempo é uma ilusão, quando achamos que temos, não o temos mais. O livro, com todo seu conceito sobre tempo, sobre a morte, sobre aproveitar o que nos resta, me fez lembrar de um trecho de uma música do Lulu Santos: "Hoje o tempo voa, amor... Escorre pelas mãos... Mesmo sem se sentir, não há tempo que volte, amor.. Vamos viver tudo que há pra viver, vamos nos permitir..." (Lulu Santos - Tempos Modernos).


"(...) A quantidade de horas ou de dias não é o primordial e sim o que fazemos desse tempo, de que forma nos ocupamos dele." Pág. 154


"É engraçado observar os desejos, aquilo que em determinado momento representa a realização. Engraçado mesmo é perceber que o que não tem qualquer valor para alguns, representa simplesmente tudo para outros." Pág. 179


"(...) Então, fui para debaixo das cobertas e me aninhei a Vitor, porque de uma coisa, além da morte que virá em algum dia triste destes próximos, tenho certeza: estamos vivos neste exato momento.
E isto é incrível." Pág. 302


Uma Vida Para Sempre fala principalmente sobre a vida, e o quanto devemos vivê-la da melhor maneira, enquanto ainda temos tempo, tendo em vista que desde que nascemos, estamos correndo para a morte... Mais dia, menos dia, todos iremos morrer. Se você soubesse quando iria morrer, aproveitaria melhor o tempo que lhe resta?

Personagens intensos e apaixonantes: Ethel é inteligente, determinada e arrisco dizer que é também complexa, ela é forte e ao mesmo tempo, frágil; Vitor é um fofo, gosta de ler, é inteligente e lindo; Gertrud, é a senhorinha mais encantadora; Edite, mãe de Ethel, é do tipo super protetora; Catarina é a melhor amiga de Ethel, ficaram dois anos afastadas, mas se "reconciliaram" e voltaram a contar com o apoio uma da outra.


"Eu era uma grande represa após vinte dias de incessante chuva. A grande comporta estava prestes a ser corrompida pela força de um evento natural. Eu estava desmoronando." Pág. 161


Por conta da doença de Ethel, o livro me fez refletir o quanto a dor é algo bom. Incomoda e é desagradável sim, mas é um sinal do corpo mostrando que tem algo de errado. Muitos gostariam de não sentir dor, mas se não sentirmos, como vamos saber que não tem nada de errado conosco?

Vida, morte, dúvidas, anseios, medo, amor, amizade, humor, compõem uma história intensa e marcante.

Narrado em primeira pessoa por Ethel, em forma de diário, o que nos permite entender o que se passava na cabeça dessa protagonista fantástica que Simone Taietti criou. Ethel é encantadora, em muitos momentos, diante de suas "teorias", me peguei pensando "como é que não pensei nisso antes?". Simone, com uma escrita que prende a atenção, criou um enredo muito bem entrelaçado, não deixou pontas soltas. A leitura flui agradavelmente. A sensibilidade com que a autora desenvolveu o tema é impressionante.


"(...) É engraçado observar a fragilidade da vida e como tudo parece conspirar para algo muito maior, um grande encontro de pequenos detalhes." Pág. 323


Algo que me agradou muito é que o livro cita músicas, livros, séries, filmes, autores: Mumford & Sons, Birdy, Marisa Monte, Ana Carolina, Renato Russo, Abba; Um Amor Para Recordar, A Culpa é das Estrelas, A Insustentável Leveza do Ser; Grey's Anatomy, House; Uma Prova de Amor, Tudo por Amor; Hida Hist, Machado de Assis.

Após terminar o livro fiquei um tempão chorando, olhando para o nada, sem saber o que pensar... 
Um livro sobre as possibilidades e imprevisibilidade da vida.
Lindo, triste, doloroso, emocionante... Uma Vida Para Sempre ganhou meu coração e se tornou um dos meus favoritos. 
Se eu tivesse que definir o livro em uma palavra seria PERFEIÇÃO!

A capa, como já disse, é linda e me encantou! A diagramação é simples, fonte em bom tamanho e páginas amareladas. Mais um ótimo trabalho da Editora.


Mais uma vez a literatura nacional muito bem representada!

Mais do que recomendado!

Beijos.








47 comentários:

  1. ooi!

    Eu conhecia o livro só de foto, não sabia do conteudo e fiquei feliz em saber do enredo enquanto estava lendo eu pensei logo em ACEDE, mas gostei de saber que os personagens tem caracteristicas tão diferentes e geniais.
    Fiquei mais animada ainda para a leitura.


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  2. Olha estou para postar a resenha desse livro em meu blog por uma das minhas novas colaboradoras, mas sinceramente eu ainda não tive a oportunidade de ler e gostei bastante de tudo que o livro aborda, porque me parece ser uma história bastante envolvente. Eu gosto quando é livros assim que nos passam uma lição de vida. Espero poder ter a oportunidade de fazer a leitura assim que tiver chance, porque o livro parece ser realmente muito bom. Enfim...Parabéns pela sua resenha, porque tá muito bem escrita e tbm adorei seu ponto de vista sobre ele. =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/05/resenha-buscando-morte-encontrei-vida.html

    ResponderExcluir
  3. Aii gente, parece que o livro é bom, mas eu não estou no clima para chorar...
    interessante essa reflexão sobre como aproveitamos nosso tempo...
    uma coisa que eu achei interessante foi a questão de citar musicas, filmes e série.. quando
    acontece isso eu sempre vou pesquisar ou escutar as musicas citadas...

    ResponderExcluir
  4. Eu to apaixonado por esse livro e essa capa desde a primeira vez que vi... Estou ansioso para o meu livro chegar logo. Sua resenha só me deixou mais ansioso.

    ResponderExcluir
  5. Oi tudo bem?
    Então, mesmo você tendo gostado bastante do livro, não sei se eu gostaria muito dele, eu já meio que acho que "adivinhei" o que acontece no final e parece ser aquele tipo de livro feito especialmente pra arrancar lagrimas dos leitores e eu sempre me sinto frustrado lendo livros assim, pq nunca dá certo kk Otima resenha

    Abraços
    http://www.desconstruindooverbo.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Já perdi a conta de quantas vezes eu agendei para ler esse livro e sempre acabo não conseguindo terminá-lo. Acho o enredo simplesmente maravilhoso e a Simone tem um jeito de escrever que encanta o leitor desde o começo do livro.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Li!!
    Eu tb me encantei pela capa, não o conhecia. Confesso que qdo comecei a ler sua resenha, já imaginei um clichê a la Hazel e Gus, e o ponto que vc destacou que são personagens únicos, foi essencial para que eu decidisse ler o livro sim.
    Resenha linda e emocionante.
    Beijos
    www.aculpaedosleitores.com

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro, mas conheço uma pessoa que tem a mesma doença da Ethel e uma menininha que tem a doença do Vitor, então me emocionei apenas lendo a resenha, porque só ela já me fez refletir. Dizemos que temos todo o tempo do mundo, mas a verdade não é bem essa. Nós estamos correndo contra o tempo do mundo. A capa é realmente maravilhosa e creio que a leitura tem tudo para me agradar, embora eu creia que vá precisar de uns lenços. Foi para a lista.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Já várias resenhas sobre esse livro, mas não consigo criar empatia. A história e emocionante, isso é verdade, mas não tem como eu não achar que é uma forma usada para pegar o leitor pela emoção. E isso me incomoda, pois é sabido que funciona, vide A culpa da estrela.
    Bom, talvez daqui a algum tempo eu mude de ideia.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá, td bem?
    Eu até achei interessante a premissa do livro. Tem um enredo, uma história legal (eu pelo menos achei pela sua resenha). Porém, não sei se leria o livro. Não que o problema seja ele, sou eu . É que não curto muito livros que falem de doenças, mortes e coisa e tal.
    Abraços

    ResponderExcluir
  11. Oi, Aline! Deu pra sentir sua empolgação daqui. Já tinha visto o livro, mas não sabia do que se tratava. Ele realmente já nos ganha na capa! Gosto dessa temática, de livros que fazem a gente refletir sobre a vida e de personagens como a Ethel. Lerei assim que tiver oportunidade!

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  12. Aline, pelo que tenho visto muitos leitores têm se encantado com este livro.
    Eu sou apaixonada pela beleza e delicadeza da capa, as cores ficaram bem harmoniosas, e agora sabendo que o enredo é emocionante e surpreendente, fiquei animada pra ler.
    Gosto de histórias que me fazem pensar, onde os personagens continuam comigo após a leitura.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  13. Oi Li! tudo bom?

    Mais uma resenha positiva desse livro, e eu cada vez que leio sinto mais vontade de ler! Adorei a sua resenha, e as fotos estão maravilhosas! E o que é esse marcador do seu blog? ACHEI LINDO! #euquero hahaha. Parabéns pelo trabalho,

    Beijocas,
    Ana - www.bookzonthetable.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oiee

    Adorei a resenha, adoro livros que falam do doenças e que passam uma mensagem de reflexão que bom que é nacional né isso da muito orgulho! Adicionado na lista de desejados!

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi,
    Esse livro recebi para resenhar e pretendo ler em breve e publica a resenha, logo de cara fui conquista pela capa e com um história assim acredito que será um livro preferido desse ano.
    Li outras resenhas tão positivas como a sua e acredito que mesmo eu criado expectativas não vou me decepcionar.

    Beijos



    Mari -

    Stories And Advice

    ResponderExcluir
  16. Essa capa, omg!!! Que coisa mais linda da vida!!!! Sério, capas assim me conquistam.
    Sobre a resenha, tenho que dizer que me animou em conhecer o livro, parece tão emocionante e emotiva, eu amo livros assim. Darei um oportunidade assim que possivel. Obrigada pela resenha.
    Angell Sakura
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  17. Olá; eu ainda não conhecia esse livro lindo!
    Já li "A Culpa é das Estrelas" e "Uma canção para Jack", dois livros que tem o mesmo tema, mas certamente leria "Uma vida para sempre", para poder me encantar (e sofrer) com esses personagens, que já me cativaram com sua resenha.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Oi Li!
    Esse não é o meu tipo de livro preferido, mas me apaixonei pela capa! Ficou linda!
    E legal saber que foi escrito por uma brasileira jovem e de Santa Catarina! =D

    Beijos,
    Fernanda
    www.oprazerdaliteratura.com.br

    ResponderExcluir
  19. Oi Li, gatona!!

    Mulher que resenha linda e emocionante!!! Gente com certeza esse livro vai agora mesmo para minha estante, adorei sua opinião e a forma com que vc expressou esta, fiquei encantada. Eu não conhecia a Autora e nem a obra, e sinto muito por ter esperado tanto tempo, e com esse é o segundo livro que comprarei depois de sua indicação!

    Beijos e muito obrigada.

    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  20. Oi Li, gatona!!

    Mulher que resenha linda e emocionante!!! Gente com certeza esse livro vai agora mesmo para minha estante, adorei sua opinião e a forma com que vc expressou esta, fiquei encantada. Eu não conhecia a Autora e nem a obra, e sinto muito por ter esperado tanto tempo, e com esse é o segundo livro que comprarei depois de sua indicação!

    Beijos e muito obrigada.

    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Já faz um tempinho que estou namorando esse livro! A capa é linda e o enredo parece ótimo!
    Não gosto muito de histórias que envolvam morte/doenças, mas livros que nos passam emoção e com personagens cativantes precisam ser lidos <3
    Tá na minha lista!
    Ótima resenha!
    Beijos!

    www.livrosdajess.com

    ResponderExcluir
  22. Olá Li,
    adoro a premissa desse livro e a cada resenha que leio só fico com mais vontade de lê-lo. Gosto de livros escritos em forma de diário, e adoraria este.
    Sou apaixonada por esta capa e concordo que o trabalho da editora foi maravilhoso. Beijos,
    http://www.entreleitores.com/

    ResponderExcluir
  23. Oii
    Acho lindo esses livros que nos faz refletir, mas são muito tristes e estou fugindo deles no momento haha
    Não conhecia ele e a capa é muito fofinha, vou anotar a dica caso algum dia queira me arriscar rsrsrs

    Beijos ;*
    Proseando com uma BibliophileFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  24. Achei bem legal o livro ser narrado em forma de diário, e que bom que a autora soube tratar o tema com sensibilidade. Essa questão de aproveitar o tempo, de realmente viver, é essencial nas nossas vidas, pena que muita gente se esquece e acaba se preocupando só com o que não é importante. E se você define o livro como perfeição e quando terminou de ler ficou um tempão chorando, ele já me ganhou. Acho a capa muito fofa, quero ler!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  25. Aiiiiii esse é um dos prêmios do TOP, né? *-*
    Desde que eu vi a capa já fiquei apaixonada, apesar de não saber do que se tratava.
    Sick-lits simplesmente roubam meu coração e com esse não foi diferente. Apesar de um dos protagonistas sofrer com leucemia, o fato de uma doença incomum como a CIPA ser abordada já me deixa mais curiosa.
    Desejando MUITO mesmo.
    E parabéns para a autora, porque só em ler os quotes já dá pra perceber que ela escreve muito bem.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  26. Olá, o livro parece ser muito bom mesmo. Sick Lits estão em alta, e é bom saber que os autores nacionais estão se aventurando nesse gênero também!

    Glaucia Matos

    www.leitorait.com

    ResponderExcluir
  27. Para mim também foi amor a primeira capa, foi o que me fez decidir que eu precisava ter esse livro antes de qualquer coisa, ai depois li a história e percebi que é exatamente o tipo de livro que me conquista e que faz com que eu chore e me emocione. Conforme fui lendo não tirei do pensamento quer ver que isso vai ser que nem a Culpa é das Estrelas só que o oposto? Mas mesmo assim amei e me apaixonei e acho que todos deveriam ler, amei a resenha, perfeita é pouco!
    Beijos

    ResponderExcluir
  28. Oi, tudo bem?
    A capa parece ser bem delicada. Nunca tinha ouvido falar dessa doença. Para ser um livro que nos faz suspirar e ao mesmo tempo chorar (claro, se o final for triste, risos). Gosto de livros que transmitam lições e esse parece que tem muitas e nos tocam profundamente, quem sabe eu leia em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  29. Com certeza o livro nos faz lembrar de Hazel e Gus , O Casal que me conquistou , e so de lembrar deles me da um tristeza e alegria ao mesmo tempo , O livro de fato me interessou bastante , amei os quotes que voce citou , esse tipo de assunto me faz refletir muito , e por mais que a história termine feliz eu acabo chorando ! e fico com o aprendizado guardado no fundo do meu <3 , Ethel parece ser uma menina muito forte , por mais que as vezes eu nao queira sentir dor , agora vejo que é essencial pra sabermos se o nosso corpo esta bem ou nao ! quero muito ler ! adorei sua resenha .

    ResponderExcluir
  30. Oi, tudo bem?
    Esse livro parece ser muito lindo mesmo, e emocionante. Acho que iria morrer de chorar. A premissa lembrou mesmo ACEDE, bom saber que tem suas distinções e sua própria identidade.
    E eu não gostaria de ter a doença da Ethel. Realmente, não sentir dor pode parecer incrível, mas a dor existe por um motivo, e é importante
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  31. Este livro parece ser muito lindo e acho que vai me fazer chorar também.
    Eu conheci alguém que não sentia dor, mas era por outra doença. E é bem complicado mesmo, pois você nunca sabe se tem algo errado,
    uma adolescente que adora cemiterio...rs,acho que o livro vai me fazer chorar, mas vou le lo, fora que a capa é muito linda,
    beijos.

    ResponderExcluir
  32. A forma que você descreveu o livro me fez ter uma vontade louca para lê-lo. Sobre a questão da dor, já tinha pensado nela, quando assisti na tv um programa sobre uma mulher que não sentia dor. A vida dela era problemática até na questão de cuidar de seus bebês, pois ela não tinha como saber se a papinha ou mamadeira de seus filhos estavam quentes. Enfim, viver sem dor não é uma boa coisa.
    Sobre a questão do amor, creio que mesmo tendo a morte eminente, não devemos deixar de amar, mas aproveitar esses últimos momentos como se fossem únicos. Enquanto há vida, devemos amar sempre.
    http://filosofodoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  33. Minha flor,
    Eu quero muito ler esse livro! A sua resenha revela claramente o porquê… Adoro o gênero sick-lit porque acredito que há vida ao abordar a morte. É um paradoxo. Quando lemos sobre a falta de saúde e o quão frágeis somos, inevitavelmente nos sentimos convidados a valorizar o dom da vida e a fazer melhores escolhas. Por isso, acho que a autora (embora tão nova – não sabia que ela nascera em 1994) foi muito feliz com a proposta de Uma Vida para Sempre. Eu espero conhecer a Ethel e me encantar com o seu romance com Vitor. <333

    Beijo carinhoso!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  34. Olá!
    Muitas pessoas não gostam de livros que já de cara fala que o principal irá morrer!
    Eu pelo contrário, não encaro a história assim, eu gosto pq ele te mostra um lado da Vida que vc não nota no dia a dia...eu sofro sim, choro, mas, quando acaba, eu sinto uma necessidade imensa de Viver da Melhor Forma Possível! Pq ninguém sabe o dia de amanhã...independentemente do que aconteça, se vc está ou não doente...pq a Vida é assim, como vc descreveu no livro, vc começa a morrer assim que nasce!
    Louca para ler esse livro!
    Parabéns pela resenha!
    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Fã Page

    ResponderExcluir
  35. Oie, tudo bom?
    Eu sempre fui apaixonada por esse livro por causa dessa capa linda. Eu adoro sick-lits e a premissa desse livro é bonita e inspiradora. Gostei muito da Ethel e fiquei com vontade de conhecê-la.
    beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  36. Já estava bastante interessada em ler esse livro só pela sinopse, curto muito sick-lit e Literatura Nacional e agora depois de ver essa resenha fiquei ainda mais ansiosa em conferi essa história que parece ser mesmo excelente.

    ResponderExcluir
  37. Olá, Aline!
    Confesso que se eu ler esse livro terminarei igualzinha a você, chorando e emocionada, pois sou muito emotiva, portanto, geralmente evito ler histórias assim... Mas você me deixou com a sensação de que Uma Vida Para Sempre é uma daquelas histórias irresistíveis de se ler, e provavelmente lerei algum dia, e espero que em breve!
    Parece ser um livro incrível, de história cativante, que te faz pensar na vida...
    A capa é mesmo uma gracinha! Amei os trechos que você colocou na resenha! Valeu pela dica!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  38. Esse livro é lindo! Perfeito! Amo a capa, a escrita da autora, a narração e escrita, a história! Chorei tanto também e os capítulos finais foram na medida certa, eu amei!
    Tudo que Motiva | Participe do nosso TOP Comentarista ♥

    ResponderExcluir
  39. Sou suspeita para falar, pois adoro a autora e ela é daqui de SC também!!
    Adorei este livro, me encantou da mesma forma que aconteceu com você, fiquei muito chocada com o final dele e sofri um pouco!!
    Mas realmente a Simone é um grande exemplo na literatura nacional!
    Abraços
    Gabriela Vidal
    www.estantedepapel.com
    Participe dos nossos sorteios!

    ResponderExcluir
  40. Você conseguiu me deixar bastante curiosa a respeito da história e olha que diferente de voc~e eu não curti muito a capa não. E pra contrariar também fiquei mais aliviada em saber que é diferente de Hazel e Gus, pois não gostei do jeito da Hazel ha, ha. E quanto a história eu não tinha a miníma ideia que existia essa doença ai da menina. Tem cura não?

    ResponderExcluir
  41. Muito boa a sua resenha.
    Tinha lido a sinopse e não tinha captado todas essa beleza do livro.
    Também achei que fosse semelhante ao livro A culpa é das estrelas, quando descreveu duas pessoas doentes que se apaixonam.
    E concordo sobre a dor ser algo bom, é um sinal do nosso corpo que tem alguma coisa errada.
    Adorei a sua opinião e o livro ja´está da na lista de desejos.
    Gostei da capa também, simples, mas que diz muito.
    Bjus.

    ResponderExcluir
  42. Olá... tudo bem??
    Menina já tinha visto essa capa em vários lugares, mas devo confessar que só me liguei que era nacional lendo a sua resenha que por sinal foi bem significativa... realmente o tempo corre e jamais iremos alcança-lo, pois ele é veloz e implacável, por isso cabe a nós vivenciar as nossas vidas da melhor maneira que podemos... sobre a dor... concordo com você, pois ele é o único grito mudo que o nosso corpo pode dar para que possamos entender o que está acontecendo, sem essa sensibilidade como saber que algo errado está acontecendo? Sua resenha ficou linda... xero!

    ResponderExcluir
  43. OI! Já tinha isto esse livro, mas não procurei saber mais sobre ele. Tenho um pouco de receio quando vejo que um livro se trata de pessoas que tem doenças terminais, penso que talvez seja bem parecido com aquele que fez sucesso, não me atrair muito pela A Culpa é das Estrelas porque encontrei uma trama melancólica, mas acho que desse eu iria gostar. Percebi que o liro não se trata exatamente do quanto aquela doença pode está corroendo a personagem a cada dia e sim no que será o amanhã, o impacto que a morte tem nas nossas vidas. Deu uma aflição pela personagem, ela luta desesperadamente para aceitar a morte, mas não tem como aceita-la, ela é apenas uma certeza na vida de todos. As frases são impactantes, me emocionei com muitas citadas.

    ResponderExcluir
  44. Li, adorei a resenha e a história!
    Já tinha visto essa capa super simples e fofa por aí mas nunca fui procurar saber do que se tratava o livro e uau, adorei a premissa! Normalmente não gosto de ler sobre doenças e mortes sabe, me sinto meio mal, mas esse livro me interessou principalmente pela doença da Ethal, que eu acho super diferente, imagina não sentir dor? Eu que trombo com tudo aqui em casa até que seria útil :p kkkk ta, falando sério agora, é uma doença muito diferente e gostei da autora te-la abordado. Com certeza eu quero esse livro!

    ResponderExcluir
  45. A capa é realmente bem bonita =D
    O livro me lembrou bastante A culpa é das estrelas, mas como você comentou que as semelhanças são poucas e os personagens são bem diferentes, parece ser uma leitura interessante.

    ResponderExcluir
  46. Confesso que quando li a metade da resenha pensei que fosse igual A Culpa é das Estrelas, mas depois de ler o restante da resenha fiquei bastante feliz de não ser parecida com o livro. Enfim estou super curiosa para poder ler esse livro incrivel.

    ResponderExcluir
  47. Oi, tudo bem?

    Eu não conhecia essa doença e fiquei curiosa para ler o livro e conhecer um pouco sobre a rotina de uma pessoa que tem CIPA, a capa é muito fofa e espero gostar do livro.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Quem Escreve

Aline (Li), taurina, 36 anos, turismóloga, paulista de Ribeirão Preto, apaixonada por séries de TV e compulsiva por livros (se estiverem em promoção, então..rs). Amo ler! :)



Colaboradora

Luciana (Lu), Ribeirão-pretana, 31 anos, virginiana e perfeccionista. Cake Design. Danço nas horas vagas por paixão e para relaxar. Amo artesanato, praia, filmes, seriados e claro, livros!

Seguidores

Facebook

Instagram

Editoras Parceiras





Universo dos Livros


Editora Arwen



Astral Cultural


Chiado 

Editora

Butterfly Editora


Mundo Uno Editora

Últimas Resenhas

Total de Visualizações

Acompanhe via E-mail

Classificação

Pesquisar no Blog

Arquivo do blog

Publicidade